Pular para o conteúdo principal

Meu Momento ♡

Você poderia ter sido o homem da minha vida

[Você pode ler este texto ao som deSay Something]
           Olá, espero que as coisas estejam fluindo na sua vida desde a última vez que nos encontramos. Faz um bom tempo que meu coração fica inquieto e pede para que eu escreva para você, bom, confesso que já escrevi umas duas vezes e em seguida rasguei o papel. Dessa vez resolvi escrever aqui, não te enviarei, mas eu sei que um dia acabará chegando em você.         Bom, a primeira coisa que queria te dizer é que você poderia ter sido o homem da minha vida, talvez não no momento que nos esbarramos na primeira vez, mas quem sabe agora ou lá na frente, porém, não é e nem será, é, você estragou tudo (não falo do nosso pseudo-relacionamento), você  mostrou ser alguém que eu não gostaria de dividir nenhum segundo do meu dia, quanto mais minha vida.          Não, não tenho mais raiva de você, por muito tempo tive medo, sim, medo, você me fez sentir algo que nunca imaginei que sentiria, e hoje olho para o mundo com outros olhos, me sinto ma…

'Quando não quero me machucar, você me telefona no meio da noite...' - Gabito Nunes.


Segunda-feira, 13 de junho de 2011 às 17h e 57 min. O meu celular toca era um numero diferente não constava na minha agenda, então atendo já preparada pra dizer que o celular não é de nenhum João, Maria ou qualquer outro fulano (sempre me ligam por engano). Estava ouvindo música alta no PC quando ouço aquela voz.
Eu: Alô!
Ele: Diandra? É a Diandra?
Não entendi direito então desliguei o som. E Disse um sufocante ‘Oi’.
Daí ele me pergunta com aquela voz que me estremece o corpo: ‘tava dormindo Nega? Hora dessas? Não devia ta na aula?’
Como é que ele faz isso. Como consegue ser tão arrogante ao ponto de achar que sabe alguma coisa sobre mim.
Então respondo: Não, não tava dormindo.
Nem que eu tivesse, seria impossível continuar depois de ouvir aquela voz.
Ele: e ai quais são as novidades?
Eu: Sem novidades. Só que já estou de férias.
Mais que vontade de falar pra ele que estava em Búzios com meu novo namorado.
Ele: coisa boa né? Só namorando então?
Eu: Pois é né. Tem que distrai.
Que mentira enorme, namorando com quem? Com o computador? Com meus livros? Com o sofá ou com minha cama?
Ele: e a jaqueta alheia já vendeu?
Eu: to negociando ainda, mais não fechei negocio.
Ele: num faça isso, vou precisar dela esse final de semana. Vou subir a serra e não quero congelar.
Eu: ta guardada pode ir pegar lá em casa.
Ele: hoje?
Eu: não to em Sobral.
Ele: ta ‘no’ Cruz.
Detesto quando ele fala assim: no Cruz! Com aquele sotaque gaúcho que eu adoro.
Eu: Estou em Cruz sim, Sobral só amanha.
Ele: então amanha posso ir pegar?
Eu: pode sim.
Ele: então até amanha.
Eu: ta certa. Tchau
Ele: espera!
Meu coração que já estava a mil depois de ouvir esse pedido foi elevado a 10ª potencia.
Eu: oi?
Ele: a gente pode conversar amanha? Ou você vai jogar a jaqueta pela varanda em cima de mim?
Vontade de fazer isso, não só a jaqueta mais também aquele capacete bem na sua cabeça e deformar seu rosto que mesmo distante de mim a dias sempre surgia nos meus pensamentos.
Eu: claro, não nego a falar a ninguém.
Ele: ta certo.
Ele: então até amanha a noite, pra nossa conversa.
Eu: até amanha.
Ele: ah e pegar minha jaqueta.
Eu: então ta. Tchau
Ele: ta beijo nega!

Postagens mais visitadas