O problema não é a saudade, o problema é à distância.



É tão bom morrer de saudade todo dia e continuar vivendo.
Sinto tanta saudade dos beijos. Aqueles beijinhos carinhosos, aqueles mais apimentados, aqueles que perdemos a responsabilidade sobre nossos atos.
Sinto tanta saudade dos abraços. Aqueles que confortam, aqueles que apertam, aqueles que não queremos mais largar de tão bom.
Sinto tanta saudade das risadas. Aquelas que fazem a barriga doer, aquelas dadas depois de uma besteira dita.
Sinto tanta saudade do cheiro. Do cheiro dele grudado na minha roupa, grudado na minha pele. (O cheiro foi o ultimo que partiu, ainda durou uns dias antes das roupas serem lavadas).
Sinto tanta saudade do mar. Nossos banhos em horários malucos, nossas conversas na frente dele, nossos beijos salgados.
Sinto tanta saudade do que ainda não foi vivido.
Acampar. Dormir de cochicha. Assistir filme. Voar. E todos os nosso planos.
Quero tanto matar essa saudade!
Quero tanto que o tempo voe e você volte!
Saudade, Saudade,Saudade,Saudade,Saudade,Saudade,Saudade...Saudade!