Eu te procurei...


Hoje eu te procurei... Procurei como se procura uma agulha no palheiro.. Mais eu não te achei...
Procurei... Procurei... Pra que? Não sei, talvez só pra te vê ou pra você me vê.
Procurei você entre a multidão. Procurei você entre um gole de Martini e outro.
Bebi tanto e não te achei. Procurei tanto e não te vi. Te quis tanto e você não apareceu.
Agora estou aqui, tonta de tanto rodar e beber e não te encontrar. Será mais uma peça do destino ou será um aviso: Pare de procurar-lo, pois você nunca vai achar-lo! Será?



Diandra Muniz,
em uma madrugada confusa, após varias doses de Martini e procuras inúteis!